Deixe sua casa mais fresca no verão com 11 dicas práticas!

Casa abafada é praticamente sinônimo de verão. Se já está preocupado com as altas temperaturas que estão por vir, saiba que alguns truques simples de decoração podem dar uma ajudinha e até diminuir os gastos com ventilador e ar-condicionado.

Confira 11 sugestões e leve mais frescor aos ambientes:

1) Substitua tapetes peludos e de cores escuras ou fortes por peças de fios curtos e tons pastel;

2) Itens de vidro refrescam. Vale investir em espelhos, vasos, quadros de foto com vidro protetor;

3) Excesso de objetos torna os espaços mais abafados. Portanto, retire bibelôs, abajures, artigos de madeira;

4 ) Se for possível, elimine cores escuras das paredes. Dê preferência a tonalidades claras e pastel. Use tinta, papel de parede ou adesivos;

5) Sofás de tecidos pesados, como veludo e camurça, e de cores fortes não combinam com o verão. Que tal cobri-los com capas de panos leves? Entre as opções estão algodão e linho;

6) As mantas de sofá devem ser deixadas de lado nos meses mais quentes;

7) É interessante colocar capas nas almofadas muito escuras. Componha o visual com tecidos leves (linho, algodão, seda) de cores claras;

8) Acha que a cortina está deixando o ambiente “pesado”? Como tirar o forro pode atrapalhar para assistir TV, mude o seu xale. Deixe-o em um tom mais suave;

9) As lâmpadas de LED não aquecem o ambiente como as tradicionais e ainda são mais econômicas;

10) Lance mão de plantas, mas tenha cuidado. É que folhagens muito grandes e volumosas podem carregar locais pequenos e conferir sensação de calor;

11) Quem gosta de fontes tem um motivo a mais para colocá-las na casa. É que a umidade delas colabora com os moradores no verão. A mesma regra se aplica a aquários e outros artigos de decoração com água.

Fonte: vidaeestilo.terra.com.br

O que é incorporação, incorporadora e construtora?

O mercado imobiliário é composto por várias partes até chegar nas questões de venda e aluguel de casas, apartamentos e salas comerciais. Por trás de tudo isso estão alguns elementos muito importantes, como a incorporação, a incorporadora e a construtora. Ainda assim, muitos podem ter dúvidas quanto à definição e qual a função de cada uma delas.

A incorporação imobiliária é a parte jurídica. De acordo com o parágrafo único do art. 28 da lei federal nº 4.591/64 – lei de incorporações – trata-se da padronização e formalização junto ao cartório de imóveis sobre a atividade de promover e realizar a construção de edificações indicando várias informações, como qual o número de unidades juntamente com qual será a área de cada uma delas e quantas vagas na garagem, por exemplo. A empresa responsável por esse processo de incorporação imobiliária é chamada de incorporadora.

A incorporadora é a grande administradora de tudo isso. É a parte empreendedora responsável por reconhecer as oportunidades de compra e construção, analisar se é viável, obtém o terreno e qual o tipo de construção será feita no local. É ela que se responsabiliza por falar com o dono do terreno (que muitas vezes recebe algumas unidades do edifício como forma de pagamento) e por vender as unidades.

Na maioria das vezes, é ela quem contrata outras prestadoras de serviço para colocar o projeto da edificação em prática, como o financiador, consultorias de planejamento imobiliário e a construtora.

A construtora é a empresa para colocar em prática as obras. Em termos de serviços, ela é a responsável por contratar a mão de obra e os equipamentos necessários, assim como as maquinas.

Ela está encarregada de cuidar da qualidade do trabalho da obra, por isso se fazem testes com o material e ensaios com a tecnologia construtiva que irão usar para obter um edifício estável e sem vícios construtivos, ou seja, sem problemas físicos como trincas, rachaduras, infiltrações ou instabilidade.

A construtora deve cuidar de tudo isso no prazo estipulado e com segurança (motivo pelo qual deve haver sempre em todas as construções um técnico de segurança do trabalho).

Tem alguma dúvida sobre o mercado imobiliário? Deixe nos comentários!

Fonte: www.segs.com.br

Confira 8 segredos de profissionais para sempre acertar na decoração

Quadros, sofá, cama, tapete, cores, estante, prateleira, mesa, estampas, iluminação. Combinar tantos elementos na decoração é um desafio. Você pode até levar jeito, mas o olhar de um profissional sempre torna o espaço melhor. Confira essa lista com dicas valiosas!

  • Antes de comprar, analise o que você já tem

Disponha todos os móveis que já possui no lugar que vai ser decorado antes de tomar qualquer decisão. Por exemplo: se você já tem o sofá e pretende comprar uma mesa de centro e uma poltrona, veja se o espaço é suficiente. Essa é a melhor forma de visualizar a mudança.

  • Acerte no uso das cores

A solução para incluir cores na decoração é investir em uma base neutra, como branco, cinza ou cru, e acrescentar um ou, no máximo, dois tons fortes complementares em detalhes, como mesa lateral, tapetes ou almofadas. Outra solução: pintar apenas uma parede ou escolher um móvel maior, como o sofá, para ser o foco de cor.

02

  • Tenha as medidas sempre em mãos

Antes de sair em busca dos novos móveis, tire a medida do ambiente que deseja decorar. Algumas lojas contam com profissionais que podem ajudar a decidir a melhor medida e modelo do que você pretende comprar.

  • Espelho, sim, mas com moderação

Ele é um curinga. Ajuda a ampliar o ambiente, destacar uma peça de design e tornar qualquer cantinho mais charmoso. Mas, como tudo, deve ser usado com moderação e nunca um espelho de frente para o outro. Eles se refletem e causam uma sensação nada agradável de visão infinita.

  • Teste a tinta

Trocar a cor de uma parede renova o ambiente. A melhor maneira de escolher o tom certo é… testar! Na parede a cor nunca é igual ao catálogo. Por isso, antes de comprar aquele galão enorme, escolha duas ou três opções e faça o teste com latas menores. Saída econômica e eficiente.

  • Elimine coisas desnecessárias

Muitos enfeites, quadros, almofadas tornam o ambiente pesado e difícil de limpar. Se o objeto não tem uma função e não completa o espaço, repense se vale a pena mantê-lo ali.

03

  • Ouse, arrisque, fuja da mesmice

Já pensou em apoiar o quadro em um móvel ou até usá-lo como bandeja em vez de pendurá-lo na parede? Que tal usar modelos de cadeira diferentes na mesa de jantar? Ou ainda aproveitar móveis como criado-mudo? Pode ser um banco e até uma escada. O importante é repensar novas funções para os objetos.

  • Não tenha pressa

Faça as mudanças aos poucos. Dessa forma, você pode se certificar de que aquele desejo por determinado móvel ou objeto é duradouro e se ele realmente vai fazer sentido no ambiente onde você o imagina. Amadurecer uma ideia é sempre bom. Não só na decoração como na vida, não é mesmo?

Fonte: Revista Casa e Jardim