A hora de comprar seu imóvel é agora!

Os dados do mercado imobiliário de Curitiba não deixam dúvidas de que o setor vive um novo momento. A queda no número de unidades entregues e de alvarás de construção emitidos nos três primeiros meses deste ano marcam o encerramento do ciclo do boom imobiliário e o início de um novo, bem mais comedido do que o vivenciado nos anos anteriores.

Entre janeiro e março de 2016, 2,2 mil certificados de conclusão de obras (habite-se) foram emitidos na capital. O número é o menor dos últimos seis anos e 45% inferior à soma do mesmo período de 2013, trimestre no qual foi registrado o pico de entregas, de acordo com a pesquisa realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi-PR), em parceria com a Brain Bureau de Inteligência Corporativa.

Até o final deste ano, a previsão é a de que, analisando-se apenas os apartamentos residenciais, 6,4 mil unidades sejam entregues pelas construtoras, 7,3 mil a menos do que em 2013.

Lançamentos

Acompanhando o ritmo das entregas, o volume de alvarás para construção residencial emitidos no primeiro trimestre também caiu e atingiu seu menor patamar desde 2008. Naquele ano, 3,7 mil unidades foram licenciadas no período, contra 2,1 mil em 2016. O setor da construção civil tem duas bases, que são a confiança e o crédito.

Porém existe otimismo na retração de tais indicadores por criar um equilíbrio entre a produção e a demanda, ao contrário do excesso de oferta que havia até 2014.

A hora de comprar seu imóvel é agora!

No curto prazo, em um cenário em que se mantenham as quedas de estoque e oferta de novas unidades, mas no qual a economia melhore, os especialistas alertam para uma elevação do preço dos imóveis, decorrente da conhecida relação entre oferta e demanda.

De acordo com o estudo, a partir de 2017 o mercado prevê reajustes mais alinhados à inflação, mas ainda distantes dos registrados nos anos de euforia do mercado. Em março, o preço médio do metro quadrado privativo dos apartamentos novos era de R$ 6.545,00, 5% superior ao do mesmo mês de 2015. A inflação oficial do período foi de 9,39%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Então, para quem não quer arriscar o aumento da inflação, a hora de comprar um imóvel é agora! Na ACMA você encontra imóveis de elevado padrão de qualidade com diferenciais exclusivos, entre os quais a arquitetura, a localização e os itens de conforto são prioridade. Entre em contato com nossos colaboradores e saiba mais sobre nossas condições especiais de pagamento pelo telefone (41) 3322-1929.

Fonte: Gazeta do Povo

Especialistas listam 10 itens que valorizam apartamentos

Os melhores profissionais destacam que fatores que valorizam apartamentos passam por boa localização, investimento em segurança e estrutura para instalação de equipamentos, como ar condicionado. Ainda assim, a estética do lugar não fica em segundo plano. Espaços integrados, cores neutras, iluminação adequada e boa apresentação também estão entre as características que valorizam os imóveis.

1 – Localização e vista

Entre os principais fatores que valorizam os apartamentos está a localização. Hoje em dia, com o trânsito cada vez pior e as pessoas buscando mais qualidade de vida, é importante morar perto de espaços de lazer e conveniências como mercados, padarias e restaurantes e que permitam acesso fácil para deixar os filhos na escola ou ir ao trabalho, contam muito.

2 – Estrutura

Para conseguir instalar alguns equipamentos, como ar condicionado, por exemplo, é preciso que o imóvel tenha estrutura para receber esses aparelhos. O apartamento que oferecer pontos elétricos em lugares estratégicos, estrutura para receber ar condicionado, ponto de aspiração central e carga de energia que prevê uso deles é mais valorizado. Uma tendência também é automação de persianas e iluminação, para conseguir faze isso o imóvel precisa ter a estrutura que possibilite instalação dessas facilidades.

 

3 – Planta

Outro ponto destacado pelos especialistas é a boa disposição dos espaços no local. Quando a pessoa compra um apartamento, a última coisa que ela quer é ter que reforma-lo, por isso é muito importante ter um projeto bem feito. A posição do imóvel, por exemplo, se estiver pegando sol da manhã e uma vista para o nascer do sol, também são mais valorizados.

4 – Acabamento

Um diferencial que atrai a atenção do comprador está nos pequenos detalhes. Faz toda a diferença ter um espaço bem acabado, com pintura bem feita e nova, piso bem colocado e de boa qualidade. Além disso, manter imóvel sempre limpo e com a manutenção sempre em dia e dar preferência, também, para cores claras e neutras, que dão amplitude ao ambiente.

5 – Áreas de lazer

As pessoas dão cada vez mais valor para áreas de lazer completas, pois contribuem para que não precisem sair tanto de casa. O momento de crise, a Lei Seca e até a falta de segurança contribuem para que as pessoas fiquem em casa e promovam, ali mesmo, suas atividades sociais. Os compradores sempre perguntam sobre áreas com piscina, salão de festas e academia, que geralmente já são equipadas. Alguns condomínios mais completos oferecem ainda área gourmet e espaço infantil.

6 – Garagem

Uma das características mais procuradas, segundo os especialistas, é a disponibilidade de garagem. É importante que o imóvel tenha um bom espaço para que o morador guarde o carro com segurança. Alguns condomínios oferecem duas vagas, mas em uma delas um carro fica sempre preso. Aqueles que oferecem mais comodidade saem na frente.

7 – Condomínio e Segurança

Um local que tem o valor do condomínio bem aplicado em melhorias e serviços de qualidade nos espaços comuns é mais valorizado, por isso é importante ter um síndico que realmente cuide do espaço. Os empreendimentos que investem nesse fator são muito procurados pelos consumidores. O condomínio precisa ser pensado junto com o projeto de segurança que será aplicado, dependendo do local é preciso organizar para que tenha segurança 24h na portaria e na garagem.

8 – Equipamentos

Clientes procuram espaços que já tenham alguns itens instalados, como armários e o box dos banheiros. Qualquer benfeitoria que o local tiver já o valoriza. Lustres e espelhos, por exemplo, não são itens considerados essências, mas quase o são, porque onde não tiver o morador vai precisar investir nisso.

9 – Projeto de iluminação

Um projeto de qualidade influencia na percepção do ambiente e dá uma sensação positiva em quem visita o local. Na cozinha e área de serviço, por exemplo, é preciso ter boa visibilidade, então é importante usar luzes mais claras e fluorescentes, que permitam ver melhor. Já nos quartos e salas é interessante usar luzes quentes para criar efeitos que deixem os ambientes mais aconchegantes.

10 – Apresentação

Outra forma de valorizar o imóvel é prepará-lo para receber a visita de uma forma que a pessoa se identifique com o espaço, principalmente em apartamentos que já são ou foram habitados. Desta forma, o potencial do ambiente é mostrado ao seu máximo e causa uma boa impressão. A proposta é organizar os móveis de uma maneira inteligente, para aproveitar valorizar o espaço de forma neutra, para agradar uma maior quantidade de pessoas.

Agora que você já sabe os pontos altos, conheça os empreendimentos da ACMA e escolha o imóvel dos seus sonhos:

Terra Gutierrez https://www.acma.eng.br/portal/imovel/edificio-terra-gutierrez/

Água Batel https://www.acma.eng.br/portal/imovel/edificio-agua-batel/

Fonte: Globo.com

A importância da função do síndico para toda a sociedade

Representar um condomínio não é tão simples quanto parece. É preciso dispor de tempo, paciência, conhecimentos na área administrativa, contábil e jurídica. A importância e as responsabilidades do síndico, para os condomínios e para a sociedade, vão muito além previsão legal e do cumprimento da convenção e do regimento interno.

Os condomínios são pequenas sociedades, caracterizadas pela propriedade comum, pelo exercício diário da cidadania, da democracia, do respeito ao próximo e às normas e regras de convivência. Nesta perspectiva, o síndico na sua atuação como multiplicador de informações, contribui para que os cidadãos tenham mais consciência dos seus direitos e deveres, colaborando para o exercício pleno da cidadania.

Devemos frisar que o síndico não é funcionário do condomínio, ele exerce um cargo eletivo com a função de representar toda a coletividade, assumindo inúmeras responsabilidades legais e administrativas que, se executadas de forma irregular, irão gerar consequências negativas para todos: moradores e funcionários.

A importância do síndico é tanta, que a legislação atual permite até mesmo que uma pessoa jurídica, independentemente de ser moradora, possa exercer a função, mas, ao mesmo tempo, a lei não abre mão de sua existência com o representante legal do condomínio.

O profissional deve ser escolhido pela maioria para exercer as funções de administração do condomínio, podendo ser condômino ou não, para exercer o mandato por prazo não superior a dois anos, permitida a reeleição. De todo modo, estas funções estão estabelecidas no Art. 1348 do Código Civil.

O síndico, assim como o gerente de uma grande empresa, mescla claramente características empresariais. Assim, deve agir como gestor de negócios, administrador financeiro, através dos balancetes a serem estudados, e assumir o risco da atividade, pois suas decisões causam impacto em todo o condomínio.

O síndico pode prestar contas através de notificações, balancetes, comunicados, e reuniões extraordinárias em que são discutidos os mais variados temas de interesse geral, mas é essencial que o faça, através da reunião ordinária anual, ocasião específica e obrigatória em que se elegerá o novo síndico, novo conselho fiscal e se demonstrará o balanço fiscal do ano. Esta prestação de contas deve estar embasada em balancetes, e planilhas que exibem a arrecadação e as despesas, acompanhadas de recibos.

O seguro da edificação é obrigatório, e cabe ao síndico diligenciar na procura de empresas idôneas, com o melhor preço, para cumprir esta obrigação estabelecida em Lei. É função do síndico, convocar as assembleias gerais, e estas possuem a finalidade de deliberação sobre assuntos rotineiros, que constam na pauta do dia, mas também podem tratar de assuntos extraordinários e essenciais para o andamento das funções do condomínio.

Por fim, além de todas as funções listadas, é deve do síndico cuidar da parte de conservação das partes comuns do edifício, verificar a manutenção de elevadores, pagamentos de funcionários, e caso o edifício não possua portaria, organização de correspondências e a tarefa mais difícil, exigir pessoalmente, uma mudança do comportamento do condômino que não obedece à convenção de condomínio, entre outras tantas funções.

Na hora da contratação, peça referências e não economize: a segurança do condomínio e tranquilidade dos moradores também depende, e muito, da qualificação de seu síndico.

Fontes: Mundo Jurídico / Imóvel Magazine / Sindico.net