Arquiteto italiano cria torre que transforma vapor atmosférico em água potável

O arquiteto italiano Arturo Vittori, preocupado em ampliar o acesso à água potável em locais afetados pela falta de chuvas, desenvolveu o WarkaWater, capaz de captar o vapor de água atmosférico e torná-lo próprio para consumo.
O projeto, concebido há pouco mais de um ano para comunidades rurais da Etiópia, na África, consiste em uma torre de cerca de 90 quilos e dez metros de altura construída a partir de materiais como bambu ou talos de juncus. No interior, a estrutura é forrada por uma malha de plástico perfurada que ajuda a captar gotículas de orvalho, que escorrem até uma bacia na parte inferior da torre.
O formato de cone, de acordo com o escritório responsável Architecture and Vision, otimiza o transporte e armazenamento da torre e garante proteção ao ataque de animais por meio de estruturas de bambu pontiagudas no topo.
A torre tem capacidade para coletar cerca de 100 litros de água por dia. Cada unidade custa 500 dólares e pode ser construída em qualquer lugar sem a necessidade de equipamentos construtivos. O objetivo de Vittori é firmar parcerias que viabilizem a execução do projeto em outras áreas.

Confira um vídeo demonstrativo:

Fonte: Techne.pini.com.br

Sistemas construtivos inovadores

Produtos inovadores são os promovem aumento de produtividade e/ou redução do custo de produção, de instalação ou de manutenção. Dentre os sistemas construtivos inovadores no segmento de construção civil do Brasil, destacam-se a Parede de Alta Performance (PAP) o Sistema Aquapanel. As novas alternativas são mais sustentáveis, substituem o tijolo usado na parede de alvenaria e contornam a carência de trabalhadores especializados.

Aplicada às vedações internas, a Parede de Alta Performance (PAP) alia duas tecnologias: a parede de Drywall (estrutura de perfis de aço galvanizado na qual são parafusadas, em ambos os lados, placas de gesso acartonado) e a argamassa Crupe (técnica europeia para preenchimento que utiliza argamassa isolante projetada).

Depois de montadas, a parede de Drywall é preenchida com a argamassa Crupe com o uso de uma máquina de projeção. Essa tecnologia assegura solidez e alto desempenho térmico-acústico ao empreendimento.

O Sistema Aquapanel que não utiliza a argamassa como preenchimento é a nova solução as fachadas de empreendimentos. A técnica dispõe, na parte externa, de uma placa cimentícia com membrana impermeável (manta Tyvek) que vai fixada à estrutura metálica (steel frame). O acabamento é feito com argamassa industrializada – ao mesmo tempo em que padroniza a superfície, garante a impermeabilização de toda a fachada.

Na parte interna da fachada, a parede é completada com duas placas, uma de OSB (OrientedStrandBoard) e outra de gesso acartonado. Para melhor isolamento térmico-acústico, o preenchimento da parede é feito com uma camada de lã mineral. Na finalização, faz-se o tratamento das juntas das placas, deixando a fachada pronta para a pintura.

A adoção dos novos sistemas construtivos otimiza o tempo de construção e os recursos das instalações elétrica e hidráulica.

A introdução de um sistema construtivo inovador é bastante complexo para as construtoras, pois além de precisarem convencer o consumidor e as instituições financiadoras sobre a segurança da inovação, precisam certificar-se de que os produtos e sistemas construtivos inovadores possuam o Documento Técnico de Avaliação (DATec) emitido pelo Sinat (Sistema Nacional de Avaliações Técnicas (Sinat). O DATec comprova a aptidão técnica de uso, avaliando requisitos de desempenho relativos à segurança, à habitabilidade, à durabilidade e à adequação ambiental. Outro quesito a ser avaliado para a adoção de um sistema construtivo inovador é a existência de um controle da qualidade específico para aquele produto ou sistema.