Reaquecimento do mercado de imóveis em Curitiba!

Reaquecimento é visível e o momento de aproveitar é agora!

Desde o início do ano, a disponibilidade dos imóveis novos em Curitiba vem caindo. Em abril de 2015, a cidade detinha 10.949 unidades para venda. Já no mesmo período em 2016, esse número caiu para 8.819 unidades. A pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) revela ainda um recuo de 3% no estoque de imóveis novos na variação mensal.

O que muitos compradores não sabem é que os índices do mercado se debruçam sobre os estoques e, hoje, a oferta ainda está pequena. Os ciclos imobiliários funcionam assim, os estoques vão ficando escassos, o que permite que as incorporadoras lancem novos produtos que já nascem alinhados com o novo momento.

Apesar as incertezas em relação à política, a economia tem melhorado e o consumidor se mostra mais confiante para adquirir imóveis nesse período, porém ainda com cautela, pesquisa e comparação, ele vai para o mercado sabendo o que quer, valorizando mais o seu dinheiro na hora de comprar. Ele está mais exigente e é quase um profissional na hora de investir seu dinheiro em imóveis, seja para moradia ou investimento, como obtenção de renda por meio de locação.

Porém, se esperar demais, a chance de pagar bem mais caro é grande.

Os preços dos imóveis em Curitiba já caíram em termos reais entre 8% e 12% e este ciclo de queda do preço está terminando. Por isso, perder a oportunidade de compra hoje, pode fazer com que o consumidor se arrependa em curto prazo, pois com os lançamentos e a renovação dos estoques, comprar imóvel a partir do próximo ano certamente ficará mais caro. A dica é aproveitar o crescimento das linhas alternativas e programas de crédito, como o FGTS.

Na ACMA você encontra imóveis de elevado padrão de qualidade com diferenciais exclusivos, entre os quais a arquitetura, a localização e os itens de conforto são prioridade.

Terra Gutierrez 

Água Batel 

Entre em contato com nossos colaboradores e saiba mais sobre nossas condições especiais de pagamentos pelo telefone (41) 3322-1929.

Fonte: www.investimentosenoticias.com.br

Caixa facilita financiamento para compradores e construtoras

Caixa facilita financiamento e quem aproveita é você!

O setor imobiliário vem se aquecendo novamente e recebeu com esperança e otimismo as novidades anunciadas pela da Caixa Econômica (CEF) de facilitar o financiamento, tanto para os compradores de imóveis quanto para as construtoras. Entidades e empresas acreditam que a movimentação do banco é um bom indicativo para o mercado e traz confiança ao setor, e nós da ACMA concordamos!

A primeira iniciativa foi anunciada na semana passada e já está valendo. Agora o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) – que não utiliza recursos do FGTS  – passa a financiar imóveis até R$ 3 milhões, o dobro do limite anterior, que era de R$ 1,5 milhão. O percentual financiável do valor do imóvel também mudou: subiu de 60% para 70% para imóveis usados e de 70% para 80% no caso dos novos.

Vale lembrar que a Caixa é o principal banco financiador do segmento imobiliário do País e suas decisões acabam influenciando a oferta de crédito pelos demais bancos públicos e privados! O financiamento é a mola do setor, então ter um crédito garantido é uma notícia muito boa para todos os segmentos.

Outra iniciativa da CEF, voltada diretamente para as empresas de construção, a retomada do Plano Empresário da Construção Civil – parado desde maio de 2015 – gerou uma reação muito mais positiva de toda a cadeia. Através dessa linha de crédito, a Caixa irá liberar 10 bilhões para custear obras e o valor é quitado pelas construtoras, após a conclusão do empreendimento, por meio da venda ou financiamento das unidades. Esse benefício, no entanto, é aplicado para investimentos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), que inclui imóveis de até R$ 650 mil (R$ 750 mil apenas para SP, RJ, MG e DF).

Os resultados da oferta de crédito nos indicadores de compra serão percebidos de forma mais clara a partir do próximo ano. O lado bom será na geração de empregos, já que os canteiros de obra vão exigir mais mobilização.  Já o nível de atividade da construção vem apresentando melhora, segundo o levantamento de junho realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice foi de 41,2, enquanto no mês de maio era de 40,1. Quanto mais o número se aproxima de 50, menor é a retração do setor.

Se você busca uma moradia de alto padrão em Curitiba, em localização valorizada, segura e com todas as vantagens que a cidade oferece, confira nossos empreendimentos:

https://www.acma.eng.br/portal/imovel/edificio-terra-gutierrez/

https://www.acma.eng.br/portal/imovel/edificio-agua-batel/

Fonte: http://goo.gl/PC7t3q

Dicas para aproveitar oportunidades em imóveis

A chance de conseguir boas oportunidades é agora!

O mercado imobiliário voltou a se aquecer e, com isso, novas oportunidades de (bons) negócios surgem todos os dias. O momento de comprar um imóvel é realmente agora, e a gente explica o porquê:

Preços baixos

Um dos principais atrativos para quem vem pesquisando os preços de imóveis há alguns meses (ou até mesmo a anos) é perceber que agora os valores estão mais convidativos. Observando o pequeno crescimento desses números, ou até mesmo a estagnação, quando comparado com o aumento que o mercado vinha demonstrando, esta é a hora para se adquirir um imóvel, principalmente se você já possui dinheiro em mãos.

Financiamento

Se você não pode comprar um imóvel à vista, ainda é possível optar pelo financiamento. Recentemente as regras de financiamento da caixa foram mudadas, proporcionando mais facilidades para quem compra um imóvel na planta, ou que nunca teve um morador. Para outros casos, é necessário ter 50% do valor como entrada.

No entanto, mesmo que você possa apenas oferecer uma entrada menor, ainda assim é recomendado que se dê a maior entrada possível. Isso evitará que as parcelas sejam mais altas e sofram maior incidência dos juros, que têm aumentado nos últimos meses.

Pesquise e compare

Apesar dos preços estarem mais convidativos, ainda é necessário pesquisar bastante antes de fechar negócio. Só assim você terá um parâmetro mais verdadeiro do cenário imobiliário atual, e poderá inclusive condições melhore de pagamento. Na ACMA você encontra imóveis de elevado padrão de qualidade com diferenciais exclusivos, entre os quais a arquitetura, a localização e os itens de conforto são prioridade. Entre em contato com nossos colaboradores e saiba mais sobre nossas condições especiais de pagamento pelo telefone (41) 3322-1929.

Fonte: www.meon.com.br

Pelo terceiro mês consecutivo, estoque de apartamentos novos recua em Curitiba

O número de apartamentos residenciais novos disponíveis em estoque para a venda recuou ainda mais em Curitiba e chegou a 9.296 unidades em março de 2016, 3% a menos do que o mês anterior quando o saldo foi de 9.575 unidades. Esses dados sinalizam claramente uma adequação da relação entre oferta e demanda na cidade, especialmente nos padrões que concentram a maior fatia de unidades lançadas.

Os dados da pesquisa mensal da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, revelam ainda que, nos últimos 12 meses, a queda no volume de imóveis novos em estoque na capital paranaense foi de 17%. Isso porque, em março de 2015, havia 11.158 apartamentos novos para a venda na cidade.

Vale lembrar que este é o estudo mais completo do setor de incorporação imobiliária para Curitiba e região! Para a presidente da Ademi/PR, Aline Perussolo Soares, os dados da pesquisa reforçam que esse é o momento para a compra do seu imóvel.

O mercado está acompanhando uma redução gradativa do estoque de imóveis novos, combinado a uma baixa expectativa de lançamentos imobiliários para esse ano, o que sinaliza que poderá haver a restrição da oferta em médio prazo, caso essa situação se mantenha. Além disso, os novos empreendimentos provavelmente virão a preços mais elevados, em função do aumento do custo para construção.

Na comparação entre os meses de março de 2016 e de 2015, em valores percentuais, os apartamentos econômicos, com preço de R$ 170 mil a R$ 250 mil, lideraram a redução de unidades em estoque, com recuo de 35,2%. As quedas também foram intensas para os studios, lofts e apartamentos de um dormitório, bem como para os imóveis novos no padrão standard (com preço de R$ 250 mil a R$ 400 mil), que tiveram baixa de 31,4% e de 30,4% em unidades, respectivamente.

Ainda no mesmo período, mas em valores nominais, os apartamentos standard (de R$ 250 mil a R$ 400 mil) tiveram a maior redução de unidades em estoque, contabilizando uma queda de 1.002 imóveis. Os studios, lofts e apartamentos de um dormitório e os apartamentos econômicos (com preço de R$ 170 mil a R$ 250 mil) também recuaram significativamente, com diminuição de 801 e 702 unidades em oferta, nessa ordem.

“Claramente está se estabelecendo um novo patamar para o mercado de lançamentos imobiliários em Curitiba, com ajuste da oferta e da demanda entre os padrões, especialmente naqueles que concentram a maior parte das unidades colocadas no mercado desde 2008. Se esse movimento persistir, acreditamos que a previsão de uma disponibilidade de 25% de imóveis para venda em relação à oferta para esse ano deve se concretizar”, analisa o diretor de Pesquisa de Mercado da Ademi/PR, Fábio Tadeu Araújo.

A pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) e da BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, em março de 2016, contou com uma amostra de 369 empreendimentos e 9.296 apartamentos residenciais novos (na planta, em construção ou concluídos) à venda por construtoras, incorporadoras e imobiliárias, em Curitiba, coletados diretamente junto às empresas do setor.

Na análise por bairro, considerando fevereiro desse ano, o Batel continua a ser o bairro mais procurado e valorizado de Curitiba. Um exemplo é o Edifício Água Batel, imóvel com a melhor relação área útil por metro quadrado entre os de sua categoria e já pronto para morar! Junto à praticidade da Água Verde e à sofisticação do Batel, próximo de tudo o que é essencial, tem arquitetura arrojada com design que privilegia o conforto, abrindo mão de qualquer desperdício com equipamento em área comum que possa onerar o condomínio.

Confira mais detalhes e entre em contato com a ACMA: https://www.acma.eng.br/portal/imovel/edificio-agua-batel/

Fontes: Paraná Online / Bem Paraná

Setor imobiliário prevê reaquecimento com novas regras de financiamento

Muitos consumidores ainda não se atentaram aos novos limites para o financiamento imobiliário usados pela Caixa Econômica Federal e o reaquecimento do mercado. As novas regras valem para empréstimos contratados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) na modalidade de Sistema de Amortização Constante (SAC), cujo percentual de financiamento passa de 50% para 70% do valor do bem. Além disso, também será possível financiar um 2º imóvel nas mesmas condições do primeiro. Assim, a expectativa é de que haja um fomento no mercado imobiliário.

Isso levará a um novo crescimento do mercado, facilitando a venda de imóveis usados, que por sua vez, facilitará a compra de novos, já que muitos consumidores usam os usados para dar entrada nos novos. Para que haja grande aquecimento nas vendas, proprietários de imóveis devem ser mais conscientes.

SFI também tem novidades

Cabe destacar que, além do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), cujo valor limite é R$ 650 mil no Paraná, também houve uma alteração no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), que possui o mesmo valor limite. Pelo SFI, o percentual do empréstimo passará de 40% para 60% para clientes privados. Para clientes do setor público, haverá a alteração do SFH de 60% para 80% e do SFI de 50% para 70%.

A ACMA constrói imóveis de elevado padrão de qualidade com diferenciais exclusivos, entre os quais a arquitetura, a localização e os itens de conforto. Se você procura um apartamento fora do comum, seu lugar é aqui! Entre em contato com nossos colaboradores e saiba mais sobre nossas condições especiais de pagamento pelo telefone (41) 3322-1929.

Fonte: Jornal da Manhã