Arquiteto italiano cria torre que transforma vapor atmosférico em água potável

O arquiteto italiano Arturo Vittori, preocupado em ampliar o acesso à água potável em locais afetados pela falta de chuvas, desenvolveu o WarkaWater, capaz de captar o vapor de água atmosférico e torná-lo próprio para consumo.
O projeto, concebido há pouco mais de um ano para comunidades rurais da Etiópia, na África, consiste em uma torre de cerca de 90 quilos e dez metros de altura construída a partir de materiais como bambu ou talos de juncus. No interior, a estrutura é forrada por uma malha de plástico perfurada que ajuda a captar gotículas de orvalho, que escorrem até uma bacia na parte inferior da torre.
O formato de cone, de acordo com o escritório responsável Architecture and Vision, otimiza o transporte e armazenamento da torre e garante proteção ao ataque de animais por meio de estruturas de bambu pontiagudas no topo.
A torre tem capacidade para coletar cerca de 100 litros de água por dia. Cada unidade custa 500 dólares e pode ser construída em qualquer lugar sem a necessidade de equipamentos construtivos. O objetivo de Vittori é firmar parcerias que viabilizem a execução do projeto em outras áreas.

Confira um vídeo demonstrativo:

Fonte: Techne.pini.com.br

Tintas e portas especiais ajudam a prevenir incêndios

O número de incêndios no Brasil subiu alarmantes 40,7% entre 2012 e 2014, segundo pesquisa do Instituto Sprinkler, responsável pelo monitoramento de notícias sobre incêndios reportadas diariamente no País. De pequenos registros (São Paulo é o grande campeão de ocorrências, seguido por Minas Gerais, Santa Catarina e Rio de Janeiro), grandes tragédias como a que vitimou centenas de pessoas em uma casa noturna em Santa Maria (RS) mostram que os incêndios podem ser evitados com medidas simples e equipamentos eficazes de proteção passiva como as Portas Corta-Fogo presentes em shoppings, escolas/faculdades, prédios residenciais e escritórios.

Revestidas de materiais específicos para contenção de fogo e fumaça, essas verdadeiras ‘portas do bem’ são mais pesadas e grossas e costumam estar posicionadas próximo a escadas e rotas de fuga, com 100% de eficácia se mantidas fechadas. Elas possuem dobradiças de mola, fechaduras, molas aéreas e barras anti-pânico para evacuação rápida de pessoas, além de modernas tiras intumescentes que criam espuma expansiva que aumenta até 40 vezes o seu tamanho original, vedando porta e batente e evitando o escape de gases tóxicos e a passagem de chamas pelos vãos.
Outra forma de aumentar a eficiência das portas corta-fogo em aço é a aplicação de tintas especialmente produzidas para esse fim.

De acordo com Jeffery Lin, Diretor Comercial e de Operações da CKC do Brasil, empresa referência nacional em proteção passiva contra o fogo, um erro muito comum é pintar as portas com camadas e camadas de tintas altamente inflamáveis à base de solvente. “O consumidor ou construtor pensa que está protegido, mas não está”.

A recomendação, segundo ele, é o simples uso de tintas intumescentes à base de água, que além de inibir que as portas de aço peguem fogo evitam a passagem de gases quentes e de fumaça tóxica entre ambientes e para corredores e escadas de emergência.

“A tinta intumescente se assemelha a uma tinta comum, é de fácil aplicação, aceita pigmentação para tons pastéis e adere a pinturas pré-existentes”, revela Jeffery Lin. “É um produto de ponta que complementa o uso das portas corta-fogo na prevenção contra incêndios, mas é fundamental que atenda às normas vigentes e sejam aprovados e recomendado para uso pelos Bombeiros de todo o País”.

Fonte: BrasilEngenharia.com

Tecnologias que melhoram a construção

Conheça as tecnologias que melhoram a construção e prometem aprimorar o desempenho dos ambientes construídos.

Torneira eletrônica que dispensa energia elétrica

As torneiras eletrônicas são cada vez mais utilizadas em locais públicos por conta do potencial de redução do consumo de água, contudo, a necessidade de haver um ponto de energia elétrica para a instalação, limita o aproveitamento da solução. A torneira para lavatório de mesa Decalux Save dispensa ligação em rede elétrica e não depende exclusivamente da energia de pilhas ou baterias. A energia é acumulada em capacitores na placa de comando, sendo armazenada para utilizações seguintes por até duas horas em regime de espera. O equipamento conta com uma microturbina capaz de gerar energia limpa necessária para seu funcionamento.

Manta antirruído

Um problema recorrente em edificações verticais é o conforto acústico adequado. Uma solução para isso é a manta antirruído desenvolvida para a absorção dos ruídos em pisos de edifícios, ruídos transmitidos em tubulações de água e esgoto

A manta antirruído é composta por uma manta estruturada em não tecido de fibra de vidro com 5 mm de espessura, produzida com asfalto especial e acoplada a um geotêxtil de alta gramatura. O sistema conta também com fita autoadesiva e rodapé. A manta antirruído é fornecida em rolos de 5 m e é indicada para edifícios residenciais, auditórios, academias de esportes, hotéis, entre outras aplicações.

Elevador sustentável

Os elevadores sustentáveis diferenciam-se por trazerem comandos regenerativos com modos de espera, permitindo que a energia consumida seja enviada novamente à rede elétrica do edifício. A tecnologia permite que o elevador ao operar com cargas leves durante a subida, entre em modo gerador e regenere eletricidade. Esses modelos de elevadores chegam a economizar até 50% de energia em comparação a sistemas convencionais e dispensam o uso de óleo lubrificante ou graxa. A iluminação interior, em lâmpadas led, consome de 50% a 75% menos energia.